Editorial J mapeia propostas dos vereadores eleitos

Durante três meses, o laboratório buscou os projetos dos candidatos a vereador de Porto Alegre

  • Por: Italo Bertão Filho (2º sem.) | 25/11/2016 | 0
Fachada do Palácio Aloísio Filho, sede da Câmara Municipal. Foto: Ederson Nunes/CMPA
Fachada do Palácio Aloísio Filho, sede da Câmara Municipal. Foto: Ederson Nunes/CMPA

A partir de janeiro de 2017, 36 pessoas estarão representando a população de Porto Alegre na próxima legislatura da Câmara de Vereadores. Entre agosto e outubro, em diferentes meios, o Editorial J buscou as propostas dos candidatos a vereador. Trabalhou-se com três frentes para quantificar as propostas dos vereadores: primeiramente, recolhendo panfletos eleitorais distribuídos durante a campanha dos candidatos. Caso não tivesse sido obtido o material impresso, optou-se por pesquisar nas redes sociais dos candidatos. Em último caso, a reportagem foi pessoalmente aos gabinetes e escritórios para o recolhimento de propostas. Ainda assim, não obtivemos resposta de seis parlamentares: Cassiá Carpes (PP), Cláudio Janta (SD), Idenir Cecchim (PMDB), João Bosco Vaz (PDT) Luciano Marcantônio (PTB) e Paulinho Motorista (PSB).

A campanha eleitoral sofreu com as restrições impostas pela minirreforma eleitoral – planejada por Eduardo Cunha em 2015. A intenção da proposta era diminuir o poderio econômico das grandes campanhas, mas o que se viu na prática foi a continuidade dos mesmos personagens na cena política. A restrição também apequenou ainda mais o alcance das candidaturas de menor expressão. A nova legislatura da Câmara Municipal comprova isso: dos 36 vereadores eleitos, apenas cinco são estreantes na Casa.

Entre os assuntos mais recorrentes, pode-se destacar a segurança pública, a mobilidade urbana, o empreendedorismo, as causas sociais, o combate à burocracia pública e o meio ambiente. Temas como saúde e educação também aparecem, mas acabam em segundo plano, já que muitas ideias esbarram na ação do Executivo.

“É pequeno o número de eleitores que acompanham o mandato de vereador”, afirma o publicitário Paulo Rogério Di Vicenzi, especialista em marketing eleitoral. As ideias vagas de muitos eleitos e reeleitos chamam a atenção quando se analisa as propostas. Vicenzi acredita que isso é uma mistura da ânsia dos candidatos conquistarem mais eleitores e da falta de informação da maioria do eleitorado.

De longe, a segurança pública foi o assunto mais evidente entre os candidatos. Vários eleitos prometem o aumento do policiamento da Guarda Municipal, já que o seu efetivo prioriza a guarda de espaços públicos. A Guarda atualmente utiliza apenas metade de seu efetivo no policiamento ostensivo. Ainda assim, alguns eleitos tem outras propostas para a área. Mônica Leal (PP) defende a pena de morte para os criminosos que praticarem estupro, ideia que esbarra no Código Penal. Wambert Di Lorenzo (PROS) promete rondas sociais para proteger a população vulnerável, aumentando a rede de proteção às crianças e adolescentes nas comunidades.

Assim como o prefeito eleito Nelson Marchezan Júnior, o único vereador eleito pelo PSDB, Ramiro Rosário, propõe a unificação de protocolos policiais com o governo estadual. Com o parcelamento de salários e o congelamento dos investimentos, política adotada pelo governador José Ivo Sartori há mais de um ano, a segurança pública no Rio Grande do Sul vive uma grave crise. Em Porto Alegre, a situação é ainda mais grave: até agosto, foram registrados 25 latrocínios. O jornalista Juremir Machado da Silva resumiu a situação em sua coluna. “Porto Alegre se transformou em terra de assassinatos”, afirmou.

A gestão da Carris também foi alvo de propostas dos eleitos. Roberto Robaina (PSOL) promete, ainda que de forma vaga, o fortalecimento da companhia. Já Ricardo Gomes (PP) defende o contrário: a privatização da Carris. Na questão da mobilidade urbana, Marcelo Sgarbossa (PT) promete continuar defendendo o uso massivo de bicicleta como meio de transporte, assim como a vereadora mais votada, Fernanda Melchionna (PSOL). Mauro Zacher (PDT), segundo mais votado, promete a implantação dos BRTs João Pessoa, Protásio, Bento Gonçalves e Padre Cacique.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior tem, até o momento, o apoio de 11 vereadores eleitos: Cassiá Carpes (PP), Cláudio Janta (SD), Dr. Goulart (PTB), Elizandro Sabino (PTB), João Carlos Nedel (PP), Luciano Marcantônio (PTB), Mônica Leal (PP), Paulo Brum (PTB), Ramiro Rosário (PSDB), Ricardo Gomes (PP) e Rodrigo Maroni (PR). Os partidos dos vereadores compuseram a coligação de Marchezan no primeiro turno (PP) e no segundo turno (PR, PTB e SD).

Apesar de várias tentativas, o Editorial J não obteve as propostas de Cassiá Carpes (PP), Cláudio Janta (SD), Idenir Cecchim (PMDB), João Bosco Vaz (PDT) Luciano Marcantônio (PTB) e Paulinho Motorista (PSB).

Vereador Propostas resumidas
Adeli Sell (PT) – 3.387 votos Suplente, Adeli Sell retorna em definitivo a Câmara Municipal na próxima legislatura. Em seu mandato, o petista pretende criar o controle popular dos horários de ônibus e lotações, além de linhas transversais para as lotações e linha hidroviária centro-sul. Na área da saúde, quer criar o hospital regional da Grande Cruzeiro. Adeli também incentivará a criação de hortas comunitárias para produzir alimentos orgânicos. O vereador eleito quer a implantação de contêineres para lixo reciclável, separado do orgânico. Secretário da SMIC durante a gestão de João Verle, Adeli continuará no combate à burocracia, à pirataria e ao comércio irregular. Adeli quer fortalecer as políticas públicas da saúde da mulher, do idoso e também ampliar vagas em creches. O petista quer criar o programa de acesso popular às artes, especialmente cinema e teatro. Também planeja continuar fiscalizando e cobrando melhores serviços públicos na saúde, educação e mobilidade urbana.
Airto Ferronato (PSB) – 5.125 votos Ferronato reelegeu-se para o seu quinto mandato na Câmara Municipal. O vereador do PSB defende a destinação de recursos para os idosos do município, e também uma cidade que pense mais o meio ambiente, a sustentabilidade, a melhoria da infraestrutura e melhor educação para crianças e jovens. Ferronato pretende continuar fiscalizando a aplicação das verbas municipais e promete trabalhar para que a comunidade seja ouvida e bem representada, reforçando a qualidade e acessibilidade dos serviços públicos.
André Carús (PMDB) – 6.682 votos André Carús foi eleito vereador pela primeira vez, mas já assumiu como suplente em outras oportunidades. Carus pretende promover a sustentabilidade ambiental, econômica e social. O vereador eleito pelo PMDB também quer preservar e despoluir o Arroio Dilúvio e os recursos hídricos de Porto Alegre. Carus sonha transformar Porto Alegre na cidade do consumo sustentável e promover e apoiar a zona rural, a agroecologia e a produção local de alimentos orgânicos. Também quer incentivar o empreendedorismo sustentável, a economia criativa, a inovação e a tecnologia. Carus pretende criar o programa “Porto Alegre Lixo Zero” e aprovar o Plano Municipal de Educação Ambiental. O vereador eleito propõe combater os focos de lixo e incentivar o cultivo de hortas urbanas e o melhor aproveitamento do espaço público, além de avançar na mobilidade sustentável, na economia criativa, na inovação e no empreendedorismo sustentável.
Comandante Nádia (PMDB) – 6.809 votos Tenente Coronel da Brigada Militar, Nádia elegeu-se vereadora pela primeira vez. Na área da segurança pública, a vereadora eleita pelo PMDB vai propor o compartilhamento de imagens das câmeras de vídeo dos locais públicos e do transporte coletivo com o Centro Integrado de Comando de Porto Alegre. Pretende fortalecer a autonomia das mulheres, implementando programas de geração de emprego e renda. Também quer otimizar vagas nas creches municipais. Na área da saúde, quer garantir às mulheres o acesso regular a exames preventivos do câncer de mama e útero, trabalhando também na prevenção da violência doméstica.
Dr. Goulart (PTB) – 4.995 votos Reeleito para o seu quinto mandato, Humberto Goulart pretende continuar seu foco na área da saúde, defendendo o funcionamento de postos de saúde 24 horas por dia, nas regiões com maior concentração populacional. Goulart também defende um plano de carreira para os médicos e profissionais de saúde do município. O vereador eleito pelo PTB também quer o aumento do número de leitos hospitalares, através do Hospital Parque Belém, Hospital Porto Alegre, Hospital Restinga e do Postão da Vila Cruzeiro.
Dr. Thiago (DEM) – 12.669 votos Reeleito para seu terceiro mandato, Dr. Thiago continuará priorizando a saúde em seu mandato. O vereador do DEM quer abrir a “caixa preta” e fazer um diagnóstico da saúde em Porto Alegre. Thiago também propõe a criação de um centro de excelência em atendimento à saúde, com a utilização da estrutura física do antigo Pronto Atendimento Restinga.
Elizandro Sabino (PTB) – 9.845 votos Evangelista da Assembleia de Deus, Sabino vai para o seu segundo mandato na Câmara. O vereador propõe continuar trabalhando em ações concretas que beneficiem a comunidade, especialmente na fiscalização de obras públicas. Sabino pretende continuar trabalhando contra a ideologia de gênero durante seu mandato, em defesa da família.
Felipe Camozzato (NOVO) – 10.488 votos O empresário Felipe Camozzato estreia na Câmara Municipal, também sendo o primeiro vereador eleito pelo NOVO em Porto Alegre. Em seu mandato, Camozzato pretende criar o Código de Defesa do Cidadão, garantindo uma relação simples, rápida e de confiança com a Prefeitura. Outra proposta de Camozzato é reforçar a Guarda Municipal, incentivando o policiamento ostensivo nas ruas. O vereador eleito também pretende fazer de Porto Alegre a capital do empreendedorismo, reduzindo impostos para a criação de novas empresas, gerando produtos e serviços mais baratos.
Fernanda Melchionna (PSOL) – 14.630 votos Reeleita para seu terceiro mandato com o maior número de votos entre todos os candidatos a vereador, Fernanda Melchionna pretende atuar em defesa dos espaços públicos, dos músicos e dos artistas de rua, além de dar incentivo à leitura. A vereadora do PSOL também quer incentivar o uso de bicicleta e lutar contra o aumento do valor das passagens de ônibus e pelo meio-passe aos domingos e feriados. Na educação, Fernanda pretende defender os cursinhos pré-vestibulares populares, por uma educação com diversidade e também por mais creches públicas. A vereadora, identificada com as causas sociais, combaterá o machismo, o sexismo e a misoginia, fortalecendo a rede pública de proteção à mulher. No campo dos direitos humanos, Fernanda buscará uma nova política de drogas e segurança, respeitando as minorias.
João Carlos Nedel (PP) – 5.346 votos Desde sua primeira eleição em 1996, Nedel mantém um programa de propostas e causas que norteiam seus mandatos na Câmara. Eleito para o sexto mandato pelo PP, o vereador continuará defendendo a liberdade individual, a democracia representativa e a presença de Deus nas relações entre as pessoas, sendo mais um ideal do que uma proposta. Outra causa de Nedel é a criação de novos logradouros pela cidade, proposta que continuará sendo um dos temas de seu mandato. O vereador também defende que o Estado tem o dever e a necessidade de proteger a instituição familiar.
José Freitas (PRB) – 7.728 votos Vereador reeleito para o segundo mandato, José Freitas é ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. Freitas continuará trabalhando por uma cidade mais participativa com as comunidades e realizando projetos em prol da infância e juventude, idosos e deficientes físicos. O vereador do PRB também quer continuar atuante nas causas dos bairros da Capital.
Marcelo Sgarbossa (PT) – 7.585 votos Sgarbossa vai para o seu segundo mandato como vereador. Incentivador do uso das bicicletas e defensor da mobilidade urbana, o petista quer continuar lutando pela causa, na batalha por mais ciclovias e espaços públicos destinados às bicicletas, meio que considera essencial para uma cidade “mais humana”.
Márcio Bins Ely (PDT) – 6.858 votos Vereador reeleito, Márcio Bins Ely trabalhará por programas de regularização fundiária, incentivando que a Prefeitura execute programas municipais de criação de unidades habitacionais nas regiões mais necessitadas. Na área da educação, o petista defende o aumento do número de vagas de turno integral nas escolas municipais. Bins Ely quer transformar Porto Alegre em referência de sustentabilidade ambiental, econômica e social, estimulando programas de cooperativismo comercial e produtivo entre entidades e profissionais. Na segurança, o pedetista pretende incentivar ações de segurança comunitária e de iniciativas organizadas pelos próprios moradores.
Mauro Pinheiro (REDE) – 4.984 votos Eleito para o terceiro mandato, desta vez pela Rede, Mauro Pinheiro promete continuar fiscalizando as aplicações do dinheiro público e lutar por mais investimentos em educação infantil, saúde e segurança pública. Pinheiro também quer seguir na defesa e fortalecimento da micro e pequena empresa. Na área social, o vereador promete assegurar moradias e, melhorar o saneamento das vilas já constituidas. Ainda na área social, o vereador promete qualificar as praças e o esporte amador.
Mauro Zacher (PDT) – 13.551 votos Reeleito para o quarto mandato de vereador, Mauro Zacher promete a ampliação da atuação da Guarda Municipal, para reduzir os índices de violência que atingem a população. O pedetista quer a implantação dos BRTs João Pessoa, Protásio, Bento Gonçalves e Padre Cacique. Zacher quer lutar pela desburocratização administrativa, permitindo uma cidade mais empreendedora e aberta aos negócios. O vereador também quer que seja implantado o monitoramento eletrônico de parques, praças, escolas e centros de bairros.
Mendes Ribeiro (PMDB) – 6.691 votos Vereador eleito para seu primeiro mandato, Pablo Mendes Ribeiro é filho do falecido político Mendes Ribeiro Filho. Pablo pretende regulamentar as corridas de rua e a prática esportiva orientada e contínua nos espaços públicos. O vereador eleito pelo PMDB também promete defender a educação financeira nas escolas, o programa Escola do Ofício e a Semana do Jovem Empreendedor. Na área da mobilidade urbana, quer a liberação das faixas de ônibus para veículos leves em dias de paralisação, além da reserva de vagas de estacionamento em prédios públicos aos cidadãos em atendimento. Pablo também apoia a legalização do Uber e a regulamentação das publicidades nos ônibus, com os recursos sendo destinados a programas médico-hospitalares dos rodoviários e renovação da frota. Na saúde, defenderá uma estrutura de referência para a população idosa, o Mutirão da Prevenção, a descentralização do atendimento da Saúde do Homem e o aumento dos centros de atenção psicossocial, álcool e drogas.
Mônica Leal (PP) – 7.254 votos Vereadora reeleita, Mônica Leal vai priorizar a segurança em seu mandato. A vereadora eleita pelo PP defende que os criminosos que praticam o estupro deveriam sofrer pena de morte. Mônica também que o poder público tome frente aos preços abusivos dos estacionamentos na cidade e fiscalize o que está acontecendo, sob pena de ser um abuso ao bolso do contribuinte flanelinhas. A vereadora também defende o Uber e incentiva o grafite como expressão de arte urbana.
Oliboni (PT) – 3.569 votos Ex-vereador, Oliboni retorna à Câmara Municipal para mais um mandato. Na área da saúde, o petista promete a implementação da UPA Partenon, o teleagendamento de consultas especializadas e a criação de um centro de referência para pessoas com deficiência. Na área de direitos humanos, Oliboni quer a ampliação da rede de atendimento de mulheres vítimas de violência e também promete combater o trabalho infantil, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O petista propõe uma política municipal para auxílio na busca de pessoas desaparecidas e o fortalecimento do Fórum Fome Zero e da política de segurança alimentar. Na área de educação, Oliboni promete passe livre para estudantes de baixa renda. Na área da cultura, Oliboni promete a criação da POA Filmes, voltada para as produções audiovisuais e a descentralização e circulação da cultura, com oficinas e atividades em todas as regiões. O vereador eleito pelo PT também pretende criar um plano de regularização fundiária, urbanização e saneamento básico, além da meia-entrada de estudantes e jovens em espetáculos culturais e esportivos.
Paulo Brum (PTB) – 4.850 votos Paulo Brum se reelegeu para um segundo mandato na Câmara, mas já foi vereador em período anterior. Sua atuação continuará focada nas pessoas com deficiência, especialmente na batalha por maior acessibilidade aos deficientes e igualdade na busca por facilidades que permitam o acesso dos serviços às pessoas com deficiência.
Prof. Alex Fraga (PSOL) – 3.710 votos Alex Fraga entrou para a Câmara como suplente e agora elegeu-se pela primeira vez vereador da Capital. O vereador do PSOL promete lutar por mais investimentos na educação, pela valorização dos profissionais e pela capacitação e formação dos professores com ênfase na gestão democrática do ensino. Fraga também quer continuar com projetos de lei como a roleta de livre para crianças e a atuação da Guarda Municipal junto Às comunidades escolares.
Professor Wambert di Lorenzo (PROS) – 2.906 votos Ex-candidato a prefeito de Porto Alegre, Wambert Di Lorenzo foi eleito pela primeira vez vereador da Capital. Pretende fiscalizar e acompanhar os trabalhos da EPTC, a favor de um trânsito mais humanizado. Wambert também quer lutar contra a burocracia da máquina pública e revisar as leis existentes. O vereador eleito pelo PROS pretende trabalhar contra os impostos excessivos, pois eles atrapalham o crescimento econômico da cidade, segundo Wambert, que também defende o policiamento ostensivo através da Guarda Municipal, coibindo os abusos dos flanelinhas e ampliando as rondas sociais para proteger os vulneráveis da mão do crime, para aumentar a rede de proteção às crianças e adolescentes nas comunidade.
Pujol (DEM) – 3.772 votos Veterano político, o vereador Reginaldo Pujol vai para o seu nono mandato na Câmara Municipal. Pujol pretende defender a liberdade do comércio, do contribuinte e os direitos do consumidor. O vereador do Democratas também trabalhará na defesa da habitação popular e o desenvolvimento sustentável.
Ramiro Rosário (PSDB) – 4.676 Ligado ao Movimento Brasil Livre e ao deputado estadual Marcel Van Hattem, Ramiro Rosário elegeu-se para seu primeiro mandato, sendo o único vereador do PSDB. Seu foco será a fiscalização da gestão pública, com a montagem de um gabinete técnico, reduzindo os custos do próprio gabinete. O tucano também pretende votar contra o aumento de despesas no município. Ramiro elenca a segurança pública como prioridade, propondo a unificação de protocolos com o governo estadual e o uso da tecnologia no combate ao crime. O vereador eleito atuará pela revitalização do Quarto Distrito e pela defesa do projeto Escola Sem Partido, criando métodos de avaliação do ensino através da meritocracia.
Ricardo Gomes (PP) – 5.822 votos Ligado ao Movimento Brasil Livre e ao deputado estadual Marcel van Hattem, o advogado Ricardo Gomes assume pela primeira vez uma cadeira na Câmara. Seu mandato terá foco na gestão pública. O vereador eleito pelo PP propõe que seja dado poder de polícia à Guarda Municipal, com a incorporação da EPTC. Na educação, Gomes defenderá que os alunos da rede municipal tenham acesso a escolas privadas, com os custos cobertos pela Prefeitura. Na saúde, o vereador eleito também acredita que a população deva ser atendida em hospitais públicos com os custos pagos pelo executivo. Gomes quer diminuir o número de cargos comissionados e estabelecer a Lei da Eficiência, com estabelecimento de metas para todo o poder público. O vereador também propõe a privatização da Carris, o incentivo a meios de transporte alternativos ao liberar o Uber de regulamentação, a modernização do Plano Diretor e a revitalização de espaços públicos como o Cais do Porto e a orla da Zona Sul.
Roberto Robaina (PSOL) – 8.354 votos Apesar de concorrer desde 2006, é a primeira vez que Roberto Robaina é eleito a um cargo público. Em seu mandato, Robaina promete combater a corrupção, com um comitê de especialistas para acompanhar contratos e projetos em execução. O vereador eleito pelo PSOL também pretende cortar 70% dos cargos de confiança, valorizando técnicos de carreira. Robaina trabalhará pelo aumento e fortalecimento da Guarda Municipal, além da ampliação da operação Balada Segura e da instalação de alarmes comunitários, criando uma rede de comunicação com a Guarda Municipal. O vereador pretende fortalecer Carris, com a participação dos servidores da companhia. Na área do transporte, também atuará pela implantação do sistema de transporte hidroviário, atendendo a Ilha da Pintada e a Zona Sul. Robaina defenderá a livre manifestação das religiões de matriz africana.
Rodrigo Maroni (PR) – 11.770 votos Reeleito para o segundo mandato, Rodrigo Maroni quer continuar atuando em defesa dos animais. O vereador do PR promete a criação de um hospital público veterinário 24 horas, de uma delegacia dos animais e um projeto de isenção do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) para veterinárias que realizarem castração.
Sofia Cavedon (PT) – 9.670 votos Reeleita para o quinto mandato, Sofia Cavedon continuará na defesa das mulheres contra a violência e pelo seu empoderamento e liberdade. Também pretende lutar pela valorização da educação das educadoras populares e seu ingresso na universidade, além de persistir na promoção dos direitos das pessoas LGBTs. Cavedon também propõe a TV pública nos espaços públicos e a criação de um Conselho Municipal de Comunicação. A petista também pretende defender a ética na política, a democracia, a organização popular e a reforma política, e também continuar presente nas lutas em defesa dos direitos conquistados pelos trabalhadores, contra os privilégio, pela transparência e eficácia das políticas públicas.
Tarciso Flecha Negra (PSD) – 7.106 votos Reeleito para o terceiro mandato, o ex-jogador Tarciso Flecha Negra continuará na defesa do esporte como meio de inserção social das comunidades. Caso o deputado Mário Jardel (PSD) tenha seu mandato cassado na Assembleia Legislativa, Tarciso assume, pois é o suplente.
Valter Nagelstein (PMDB) – 9.300 votos Reeleito para o seu terceiro mandato, Valter Nagelstein defenderá uma Guarda Municipal equipada e atuante na segurança pública. O vereador eleito pelo PMDB pretende implantar 12 novas estações de transporte hidroviário ao longo da orla do Guaíba. Nagelstein promete incentivar as hortas comunitárias, ocupando espaços ociosos e áreas de convívio social, estreitando a relação com a agricultura urbana. O vereador eleito defenderá habitação popular, mediante ampliação de políticas para construção de moradias populares e regulamentação fundiária. Outro projeto de Nagelstein é implementar a fiação subterrânea em Porto Alegre, com a consolidação do grupo de trabalho para a implementação. No campo do urbanismo, quer reestruturar o mobiliário urbano e realizar a revitalização urbana por meio de parcerias público-privadas. Nagelstein quer aproximar escolas municipais e parques tecnológicos, incentivando a qualificação profissional e a economia criativa.