Jogador de “futebol cego” é esperança de ouro para o Brasil

Ricardo Steinmertz Alves, mais conhecido como Ricardinho, é jogador de futebol cinco. O esportista de 23 anos nascido em Osório, litoral gaúcho, coleciona títulos e fãs por onde passa. O atleta perdeu totalmente a visão aos oito anos de idade e, desde então, enfrentou uma sequência de mudanças em sua vida. Ele faz parte da seleção masculina de futebol 5 e estará presente nas Paraolimpíadas de Londres, evento que ocorre após as Olimpíadas e conta com vinte e oito modalidades diferentes.

  • Atleta paraolímpico vive maratona de dificuldades
  • O esporte praticado por ele é exclusivo para deficientes visuais. Nele as partidas ocorrem em uma quadra de futsal adaptada ou em campos de grama sintética. O goleiro é o único, dentre os cinco jogadores, que tem visão total. Junto às linhas laterais, bandas (barreira feita de placas de madeira que se prolonga de uma linha de fundo a outra, com 1metro e meio de altura, em ambos os lados da quadra, evitando que a bola saia em lateral, a não ser que seja por cima desta) impedem que a bola saia do campo.

    As partidas são silenciosas e em locais sem ecos, para não atrapalhar os atletas que se guiam pelos guizos internos da bola e pelos gritos do “chamador”, personagem que no fundo do campo dá orientações aos jogadores.

    O atleta, fã dos Engenheiros do Hawaii e torcedor do Sport Club Internacional, apesar de jovem, coleciona diversas premiações. O talento do craque fica evidente, dentre outros motivos, por ter sido eleito, aos 17 anos, o melhor jogador do mundo de futebol 5. Ricardinho é o mais jovem a ganhar esse reconhecimento. Modesto, ele diz que ficou surpreendido com a escolha. “Confesso que foi uma surpresa na festa de premiação, após o término do Mundial. Eu estava distraído conversando quando chamaram o meu nome, pra mim, foi até um susto,” brinca.

    O jogador, por vezes tímido, projeta um futuro ainda mais vitorioso. “Em todos os campeonatos possíveis que disputei, fui campeão. Eu já ganhei tudo que podia ter ganhado. Meu sonho hoje é repetir meus feitos. Eu aprendi, no futebol, que mais difícil que ganhar uma vez é ganhar a segunda. As conquistas virão com mais dificuldade, mas será mais gostoso.”

    Mesmo tendo qualidades e habilidades muito pessoais, Ricardinho enfatiza que “todas as pessoas têm condições de alcançar seus objetivos. O importante é saber o caminho a seguir. Descobrir o que gosta de fazer e correr atrás. O início é a parte mais difícil. Arrancar do zero é muito complicado, têm muitas barreiras, mas a pessoa persistente sempre consegue seu espaço. O segredo é ser determinado.”

    A Seleção Brasileira de futebol cinco contará com Ricardinho para trazer novamente o ouro ao povo brasileiro, aumentando ainda mais o orgulho gaúcho nesses atletas que são um verdadeiro exemplo de vida.

    Texto: Karine Flores
    Imagens: Janaína Marques

    3 comentários

    Deixe um comentário