O grande espetáculo estético de Gatsby

A grandiosidade do diretor australiano Baz Luhrmann, de Romeu + Julieta e Moulen Rouge, mais uma vez ganha as telas de cinema, agora transformando O Grande Gatsby, adaptação do livro homônimo de F. Scott Fitzgerald, num espetáculo estético de retorno à art déco e à sofisticação da década de vinte. Leonardo DiCaprio foi o escolhido para encarnar o papel do misterioso milionário Jay Gatsby.

Parece que Luhrmann leva a sério a ideia de que o cinema é uma arte predominantemente visual em detrimento da narrativa, que fica diminuída com a tentativa de criar modismos . Para o diretor de cinema e da companhia teatral Vai!, João Pedro Madureira, ao contrário do que pretendiam, as cenas computadorizadas serviram para sublimar o encantamento: “o filme deve enganar, mas não ser ostensivo”, aponta o diretor. O figurino e as cenas das festas – feitas para serem assistidas em 3D – são realmente o ponto mais explorado do filme. Provavelmente será indicado ao Oscar em categorias como figurino e fotografia. De qualquer forma, está lançado um belo blockbuster com o romance de Fitzgerald.

A trilha sonora do filme de Baz Luhrmann varia entre o Hip Hop e outros ritmos contemporâneos, como a versão de Beyoncé para Back to Black, deixando o Jazz e o Foxtrote dos anos vinte apenas como uma referência visual. Porém, dar roupagens novas para canções é algo que o diretor já mostrou fazer, como se constata no musical Moulin Rouge.

No entanto, a profundidade das idiossincrasias dos personagens não está perdida por uma questão de má atuação, mas minimizada pela estupefação visual ofuscantemente privilegiada. “Achei as interpretações dos atores boas, principalmente de Joel Egerton e Leonardo DiCaprio”, analisa João Pedro Madureira. A história é contada em flashbacks narradas por Nick Carraway (Tobey Maguire) ao seu psiquiatra, que o aconselha também a escrever um livro.

No verão anterior Nick se mudou para uma casa em West Egg, em Long Island, ao lado da mansão do misterioso milionário Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio). Gatsby promove festas grandiosas nos jardins de casa. Todos usufruem da sua receptividade e discutem pelos cantos sobre o passado do anfitrião e de onde provem sua fortuna. O que não sabem é que ele ainda é obcecado pela prima de Nick, Daisy Buchanan (Carey Mulligan) com quem viveu uma antiga paixão, mas está casada com o brutamonte e herdeiro milionário Tom Buchanan (Joel Edgerton). Tudo que Gatsby adquiriu foi para resgatar o seu antigo amor, inclusive a mansão em que vive em frente à casa dos Buchanans à espera de uma aproximação com sua amada.

Essa é a quarta adaptação para cinema de O Grande Gatsby. A versão anterior mais conhecida é a de 1974 dirigida por Jack Clayton e protagonizada por Robert Redford. É, sem dúvida, a versão mais fiel ao livro, recriando com precisão toda a atmosfera da época. O roteiro, escrito por Francis Ford Coppola, relata com sobriedade o drama de Gatsby e acertou ao explorar a profundidade da narrativa.

Livro e contexto histórico

O livro de F. Scott Fitzgerald, publicado em 1925, mostra o deslumbramento de uma sociedade de luxúria e futilidades que encara a vida como se fosse uma eterna festa. Ironicamente, quatro anos mais tarde, os Estados Unidos enfrentariam uma terrível recessão, a famosa

quebra da bolsa de valores de Nova York em 1929. Os anos 20 foram uma década de euforia sanduichada entre duas guerras mundiais. Os americanos viviam sob a Lei Seca, por isso, proliferavam nas grandes cidades gangsters e oportunistas que acumulavam dinheiro por meios espúrios, explorando o mercado negro do álcool.

A história original retratada por Fitzgerald é uma crítica aos costumes e hábitos da alta sociedade da época, círculo social que ele próprio frequentava. O livro foi publicado em 1925 e é considerado um dos grandes clássicos da literatura Norte Americana.

Confira o trailer de O Grande Gatsby com Leonardo DiCaprio

Ficha técnica

Gênero: Drama

Direção: Baz Luhrmann

Roteiro: Baz Luhrmann, Craig Pearce

Elenco: Amitabh Bachchan, Arthur Dignam, Barry Otto, Brendan Maclean, Callan McAuliffe, Carey Mulligan, Corey Mills, Daniel Newman, Drew Pearson, Elizabeth Debicki, Felix Williamson, Gemma Ward, Goran D. Kleut, Isla Fisher, Jacek Koman, Jack Thompson, Jason Clarke, Joel Edgerton, Kate Mulvany, Kim Knuckey, Leonardo DiCaprio, Max Cullen, Stephen James King, Tobey Maguire, Vince Colosimo

Produção: Baz Luhrmann, Catherine Knapman, Catherine Martin, Douglas Wick, Lucy Fisher

Fotografia: Simon Duggan

Versões anteriores

* O Grande Gatsby, filme de 1926 (Herbet Brenon)

* O Grande Gatsby, filme de 1949 (Elliot Nugent)

* O Grande Gatsby, filme de 1974 (Jack Clayton)

Texto:  Marcelo A. Coelho de Souza (7º semestre)

Deixe um comentário