Benefícios do consumo de chá são verificados pela academia

Uma das alternativas adotadas por muitas pessoas para evitar doenças de inverno é investir no consumo diário de chás. Eles são utilizados também como diuréticos, antioxidantes, na prevenção do diabetes e como calmantes. Segundo o conhecimento popular, até a tensão pré-menstrual (TPM) pode ser diminuída com o auxílio deles.

O chá é uma bebida milenar preparada pela infusão de folhas, flores ou raízes. Sua origem foi provavelmente na China há cerca de 5000 anos. Desde então, tem sido utilizada como bebida social, por suas propriedades medicinais ou mesmo pela fama de cura. Geralmente é preparada com água quente e tem seu sabor definido pelo modo como é servido.

No Mercado Público de Porto Alegre, os chás são vendidos nas bancas de verduras e nas floras de artigos religiosos. A cada um é atribuída uma função específica. Cleber, que trabalha na Flora Kolesar, Banca 15, explica:

– Tem chá para tudo. Os clientes já sabem e pedem o chá pelo nome. Chá de sucupira é bom para dores reumáticas. Chá de “nó de cachorro” foi muito vendido quando surgiu o viagra, pois ele resolve problemas de potência sexual (está em oferta de 3 pacotinhos por R$ 5,00). Arnica é bom para inflamação. Camomila é bom para o estômago e acalma. Eu tenho utilizado muito a copaíba como anti-inflamatório, disse ele.

Na Banca 6, na qual Júlio trabalha há três anos, há 300 tipos diferentes de chás. Os mais vendidos são o guaco, a carqueja e a macela. Segundo ele, o chá de guaco é usado no combate à gripe, a carqueja (ou quebra-pedra) serve no tratamento de problemas renais e da bexiga e a macela, para o estômago. O mais vendido de todos é a macela, que além de ser usada para chás é utilizada e em travesseiros, para quem quer um sono relaxante e tranquilo. O aroma da flor, indica Júlio, ajuda a diminuir o mal-estar e auxilia no combate a insônia.

Vera Regina, dona de casa, é consumidora de chás e gosta de comprar sempre na Banca do Tio Raul.

– Ele é o que mais sabe sobre chás e aqui se encontra de tudo. Eu uso muito a camomila, que serve como calmante e alivia as dores de cabeça. E um truque que eu aprendi com a Ana Maria Braga é fazer compressas de camomila para diminuir as olheiras: funciona mesmo – diz ela.

Além disto, Vera gosta do alecrim, pois, segundo ela, ajuda a combater a gripe e dores no corpo. E não esquece o chá preto, que ajuda em casos de distúrbios gastrintestinais.

Já o arquiteto Paulo Roberto Pereira vem ao Mercado Público para comprar erva cidreira. Para ele, o chá de melissa, como também é popularmente conhecido, ajuda a diminuir o estresse do dia a dia. Ele sempre bebe chá de erva-cidreira quando chega em casa muito agitado das atividades diárias. Para ele, outras propriedades deste chá são diminuir cólicas, febre, flatulências, gripe, insônia e até náuseas.

Foto: Gabriela CavalheiroPara problemas de estômago, Pereira consome também o boldo. Este é conhecido por melhorar problemas como cólicas, gases, azia, efeitos da bebida alcoólica e gastrite. Ele sugere tomar uma xícara de chá pela noite, mas com moderação, porque o excesso do consumo pode levar às irritações no estômago, diz ele.

Finalmente, uma dica de Vera Regina para quem deseja emagrecer é consumir o chá todos os dias. É uma bebida que não possui calorias, mas muito sabor. E não utilize açúcar. Assim você se esquenta e mantém a forma neste inverno.

Efeito placebo

Por outro lado, segundo o Professor Wolnei Caumo, do Departamento de Farmacologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a maioria não tem seu efeito comprovado cientificamente. Assim, muito resultados são efeito placebo. Ou seja, não depende de alguma característica especial do chá e corresponde a 30 %.

Contudo, estudo recentemente publicado no American Journal of Clinical Nutrition, demostrou que pessoas que consomem chás têm menos chances de desenvolver câncer no cérebro. Outra pesquisa, realizada pela Universidade de Utrecht, Holanda, (2010) ao analisar 40 mil pessoas, demonstrou que tomar xícaras de chás pode prevenir problemas cardíacos. Ainda, segundo os pesquisadores do artigo publicado no Archives of Internal Medicine, pessoas que tomam de três a quatro xícaras de chá diariamente diminuem as chances de desenvolver Diabetes mellitus.

O Prof. Luiz Kucharski, do Departamento de Fisiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, desenvolve uma pesquisa para avaliar o efeito da erva mate, chá tão comum no Rio Grande do Sul, sobre a obesidade. Segundo ele, a erva mate parece ter efeitos auxiliares no tratamento do sobrepeso, redução dos níveis de colesterol, efeito antioxidante do LDL, redução de peso e gordura abdominal. É por isso, que a universidade desenvolve uma pesquisa para avaliação do efeito da erva mate sobre os níveis hormonais, a produção de proteínas e os níveis de açúcares nos músculos.

Texto: Edison Capp (6ºsemestre)

Deixe um comentário