Serviço 190 sem mistério

“190 qual é a sua emergência?”, com estas palavras soldados da Brigada Militar atendem às chamadas da população que relata acidentes, situações de violência, criminalidade, enfim, casos de segurança pública. O fone 190 e os demais serviços prestados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) de Porto Alegre foram apresentados a estudantes de Jornalismo da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) na segunda-feira, 3 de junho.

O grupo de alunos do Editorial J, estágio multimídia da Famecos, foi o primeiro convidado a participar do programa Redação In Loco das Secretarias de Segurança Pública (SSP) e de Comunicação Social e Inclusão Digital (Secom) do Governo do Estado. Este programa, como explicou o coordenador de comunicação social da SSP, Antônio Candido, iniciou em 3 de junho, com a finalidade de promover a visita de estudantes de comunicação para que conheçam o cotidiano da área de segurança pública do Estado, mais precisamente como funciona o Ciosp, popularmente conhecido como 190.

Confira a matéria em vídeo da visita do Editorial J ao Ciosp:

O coordenador de comunicação social da SSP explicou que a ideia é possibilitar, aos futuros profissionais da comunicação, um conhecimento que vá além do que as noticias em geral fornecem. Ao participar da iniciativa, os universitários têm outra visão do funcionamento da segurança pública, diferente da que estão habituados regularmente. Isso ajuda os estudantes a compreender melhor a realidade da segurança pública para que saibam, pelos próprios olhos, o que acontece no serviço de atendimento às emergências do setor, o que contribuirá para suas futuras reportagens.

Antônio Cândido também contou que a ideia é levar o projeto para outras secretarias e programar mais edição de visita de universitários ao Ciosp. As próximas edições do Redação In Loco previstas acontecerão nos dias 10 e 17 de junho com outros grupos de alunos de Jornalismo. Para mais informações e se inscrever no programa, o estudante deve encaminhar e-mail à redacaoinloco@ssp.rs.gov.br

Ciosp registra ocorrência e determina tipo de atendimento

ciosp, brigada militar foto: Gabriela Cavalheiro
Ciosp tem 118 câmeras instaladas em bairros da Capital

Ao receber uma ligação, os atendentes do Ciosp anotam a ocorrência em formulário padrão e o encaminham à sala ao lado, onde estão os núcleos de integrantes da Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias e da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). Dependendo do tipo de ocorrência, os núcleos são acionados para fazer o atendimento à vítima, sendo deslocadas viaturas de diferentes pontos da cidade.

O capitão Luciano Rodrigues conta que as ocorrências geradas no Ciosp passam direto para o terminal do batalhão da BM que controla a área onde ocorreu o crime. É um serviço georeferenciado, acrescenta o sargento Silvio Bonatto.

Os dias de maior volume de ligações para o 190 são quintas, sextas, sábados e domingo, sempre entre seis da tarde às seis da manhã, relata o capitão mostrando o painel eletrônico que registra as chamadas, inclusive as que estão na linha de espera para serem atendidas. Isso sem contar as datas como Natal, Páscoa, Ano Novo e dia de jogos de futebol, quando há também aumento significativo de ocorrências, independente do dia da semana.

O trabalho do Ciosp é complementado pelo serviço de monitoramento de 118 câmeras espalhadas pelos bairros mais movimentados de Porto Alegre. Segundo o sargento Bonatto, a maioria das câmeras está localizada no Centro Histórico da Capital, pois é onde acontece a maior parte das ocorrências de segurança.

Trotes estão em queda

Os trotes para o 190 caíram mais de 50% nos últimos 10 anos. Em 2001, as ligações falsas representavam 60% das chamadas que hoje estão em torno de 13%. Segundo o sargento Silvio Bonatto, a redução foi alcançada principalmente devido às campanhas de conscientização feita pelo governo e pela SSP. A maioria dos trotes continua sendo praticado por crianças e ocasionalmente por alguns adolescentes, sendo quase nunca por adultos. Mas ressalta que essas ligações duram em media apenas sete segundos, tempo do operador perceber o real objetivo da chamada.

Texto: João Pedro Arroque Lopes (5º semestre)
Fotos: Gabriela Cavalheiro (5º semestre)
Vídeo: Douglas Roehrs (5º semestre)

1 comentário

  • Cindy Gomes
    21:53

    Falo em nome de todos os Soldados do CIOSP que ao lerem a matéria e visualizarem o vídeo exposto na mesma, ficaram lisonjeados bela bel explanação a cerca de nosso serviços serviços prestados a comunidade Gaúcha.
    Atenciosamente,
    Soldado Gomes

Deixe um comentário