Tratamento da fobia social exige a participação de familiares

Medo das pessoas, de olhares atentos e da opinião do outro. Estas preocupações são permanentes no imaginário de quem sofre com transtorno ansioso social, também conhecido como fobia social ou sociofobia. A síndrome é caracterizada por manifestações de tensão nervosa e desconfortos desencadeados pela exposição à avaliação social.

No Brasil, 12% da população sofre com transtornos de ansiedade

Psicoterapia é a técnica mais eficaz para se lidar com fobias

Vítimas de estresse pós-traumático temem repetição de situação apavorante

Uma janta, um encontro amoroso, uma entrevista de emprego e a necessidade de falar em público são exemplos de situações que despertam ansiedade extrema e incontrolável nos fóbicos sociais. Eles até compreendem que os medos são irracionais, no entanto, dificilmente conseguem se controlar frente a situações de exposição. O motivo? Medo do julgamento, da avaliação, de parecer fraco e demasiadamente ansioso.

A fobia social é resultado de um conjunto de fatores sociais e biológicos e tem ligação com o meio em que o indivíduo vive ou viveu. Quando a fobia social se manifesta, muda drasticamente a vida da pessoa e gera pensamentos que antes não existiam. “Eles pensam como as coisas podem dar errado, e como as pessoas vão enxergá-los. Então, dificilmente conseguem enfrentar as situações de exposição”, afirma a psicológica Sabrina Caldeira.

Os medos mais comuns do fóbico são fazer ou dizer algo que seja humilhante ou embaraçoso em alguma situação social, medo de que o próprio medo fique visível aos outros, e tensão com a possibilidade de ser rechaçado ou ridicularizado. Tais receios podem começar cedo, na infância ou adolescência.

Fobia social não tem cura. Uma vez manifestado qualquer transtorno de ansiedade, é preciso que a pessoa aprenda a respeitar seus limites. O tratamento precisa ser coletivo, reunindo paciente e familiares, e a medicação também entra como aliada nesta batalha. “Os familiares precisam compreender que o indivíduo não faz isso porque quer, mas porque não consegue controlar sua ansiedade. Recomendo sempre que os familiares busquem informações e sejam amáveis e compreensivos com a dificuldade do paciente”, explica Sabrina.

A vida do fóbico social, muitas vezes, é recheada de grandes perdas. É o caso de A.T. que prefere não se identificar. A.T. foi criada pelos avós, pois a mãe trabalhava durante todo o dia e não tinha tempo para as filhas. Ela e a irmã não podiam sair sozinhas e acabavam tendo pouco contato com crianças da mesma idade. A timidez acompanha A.T. desde os tempos de escola. Apresentar trabalhos, escrever no quadro, e fazer provas orais eram atividades assustadoras demais para ela. Anos mais tarde, quando tentou ingressar na faculdade, o problema continuou e o sonho do ensino superior ficou para trás.

Atualmente, a vida social da dona de casa é totalmente limitada. “Não posso marcar encontro com amigos ou com familiares em lugares onde há muita gente, não consigo andar sozinha e não gosto de receber as pessoas na minha casa, pois fico muito ansiosa”, relata. Além disso, ela depende do marido para tudo e nunca trabalhou. “Só tentei trabalhar uma vez e não consegui”, lamenta.

A.T já procurou ajuda, mas até a ideia de conversar com um psicólogo é constrangedora demais para ela, que ainda não concluiu o tratamento e não toma remédios para controle do problema. Hoje, ela não trabalha e se dedica somente a cuidar da casa e do filho.

Texto: Bruna Essig (7º sem)

17 comentários

  • […] Tratamento de fobia social exige a participação de familiares […]

  • Nossa! Eu não sabia sobre a Fobia Social .Vi uma reportagem ontem ,e procurei saber mais agora eu sei a causa de ter passado a vida toda me sentindo inútil e fracassada ,por nunca conseguir fazer as coisas como uma pessoa normal.As pessoas me ignorando e eu sempre isolada de tudo e de todos.Atualmente estou trabalhando ,mas não consigo agir como uma pessoa normal e sei que as pessoas me acham estranha.Tenho todos os sintomas de Fobia Social.

    • joelson
      19:56

      Oi eu também tenho este problema, não consigo me expor em grupos, tenho dificuldades de falar com estranhos e não consigo nem pensar em apresentar um trabalho, fico apavorado, minha vida é muito dificil.

  • Adriana
    17:38

    Eu também tenho quase certeza que tenho Fobia Social, ainda não passei no psicologo, tenho uma amiga que se formou faz pouco tempo em psicologia e ela disse que antes de eu falar que é fobia social tenho que conversar com um profissional da aréa para ter certeza.
    Mas meus problemas continua e só vem aumentando com o passar do tempo, não consigo comer na frente de pessoas que não tenho muita intimidade, também não consigo receber visitas em casa e ir nas casas dos outros, tremo demais em situações banais, vou casar o ano que vem e ja desistir da festa por saber que não vou consegui entrar de noiva com todos me olhando, mas só de pensar no casamento civil também me apavoro, tenho chorado muito. o desespero e a angustia tem me acompanhado e eu me sinto perdida sem saber o que fazer.
    as vezes começo a tremer tanto, não é só as mão mas passa pro corpo inteiro. To apavorada.

  • samuel
    21:44

    e eu que pensava que era so eu que tinha esse problema.
    eu consigo me controlar, e tem dias que eu consigo falar com as pessoas normalmente. mas tem dias que parece que todos estão me disprezando, eu olho para elas e nao consigo falar e abaixo a cabeça. tenho medo de sair e as pessoas falarem da minha roupa ou dizer que sou feio, enfim tenho medo de ser julgado ou humilhado.
    estava vendo como isso começa e é tipo o que aconteceu comigo: todos os meus amigos passaram na escola e eu repeti de ano, ai eu fiquei com uma turma desconhecida, e tipo, eu cheguei uma semana depois que começaram as aulas, e todos ja se conheciam. menos eu.
    ai eu tive uma mudança seria de comportamento, somente na escola, pois em casa eu agia do mesmo jeito. dai na escola eu nao tinha com quem fazer aquelas bagunças que so meus amigos faziam. nem as brincadeiras e nem conversar.
    dai eu fui me isolando, e foi isso. ate hoje eu sou assim, e essa fobia so foi aumentando, ja mudei de companhias varias vezes, ja fui da igreja e tinha poucos amigos, ja consegui novas amizades no ensino medio, mas esses amigos mudaram de escola, ja tive companhias diferentes tipo, ja andei com drogados e eu tambem usava drogas. mas isso eu ja deixei e nem precisei me viciar. e hoje eu sou assim, sem amigos, sem namorada, chego em casa e tranco as portas para ninguem me ver. eu imagino que as pessoas tao mandando indiretas pra mim quando saio na rua. e é isso, eu me acho a pessoa mais despresivel do mundo.
    tento mostrar ser uma pessoa normal, mas por dentro eu tenho um medo incontrolavel, e uma ansiedade que nao sei explicar como ela passa quando chego em casa. nao sei se isso é caso de saude ou so psicologico que da pra mudar junto com o estilo de vida.
    ah sei la

    • elly
      13:08

      Eu tbm sinto tudo isso que vcs falarão
      Gostaria muito de conhecer alguém igual a mim
      pois me sinto sozinha no mundo, todos parecem tao felizes eu só a única estranha e triste em todo lugar q eu tento ir só vejo pessoas alegres ai fico me sentindo pior pois gostaria d ser igual a essas pessoas.

  • taty
    1:26

    Nossa meus sintomas são iguais a maioria, desde adolescente sempre fui assim, a estranha da classe, detesto receber visitas, a campanhia toca e eu simplesmente finjo q não estou até saber quem está no portão e tal…mas só estou querendo desesperadamente procurar ajuda porque de uns tempos pra cá vem piorando, enquanto o meu problema era só com as pessoas de fora eu deixava pra lá mas a mais ou menos uns 2 anos tenho vergonha de falar com minha propria irmã, na verdade é pior que vergonha é medo, pavor, fico palida e gaguejo encontro em familia é um martirio, aniversarios festas que eu sei que ela vai estar lá tenho que tomar um remedio que consegui sem receita ai sim eu me acalmo porque esse remedio me deixa meio dopada e eu esqueço do que me faz ter medo, sofro muito porque ela ja percebeu e sei que não entende o porque mas fujo de conversa com ela, tambem tenho esse comportamento com chefes, superiores a mim , sinto que sou muito inferior a eles e simplesmente não consigo ter uma conversa, por isso hj sou dona de casa tenho trauma de tentar procurar emprego só de pensar em entrevistas com alguem que esteja me avaliando, preciso de um medico mas as consultas sao caras e os remedios não to conseguindo mais comprar sem receita o que faço to desesperada…

  • liz
    15:17

    é um problema que acaba com a sua vida,literalmente..

  • toni
    17:30

    Também tenho este problema e sinto a maioria destes sintomas, tomei coragem e me consultei com um psiquiatra a dez dias, conversamos durante 1 hora fiquei muito a vontade para explicar o que eu sentia, comecei um tratamento, a principio com remédios anti-depressivos, e já percebi melhora significativa, tenho nova consulta marcada para o mês de outubro, espero que eu consiga eliminar este problema constrangedor.

  • Carlos
    20:01

    Eu li vários artigos sobre fobia social e o que vi foi uma descrição fiel de mim mesmo,é triste,eu tenho fobia social,tenho medo das pessoas me acharem um ridículo,patético ou até engraçado (no mal sentido da palavra),tenho dificuldade de pegar um simples ônibus,e tenho que fazer isso todos os dias,sofro muito,acho que as pessoas vão perceber minha ansiedade e vão pensar “nossa que cara estranho,ridículo…olha a cara dele,parece um pateta ..sei lá..eu penso isso, eu não vou em festas,e só saio de casa de óculos escuros para tentar aliviar os sintomas,eu comecei o tratamento com antidepressivo e ansiolítico tem dois dias.Tenho fé em Deus que eu vou melhorar

  • […] FONTE: http://www.editorialj.eusoufamecos.net/site/tratamento-da-fobia-social-exige-a-participacao-de-familiares… […]

  • r virgilio
    13:18

    Eu sou professor e também já sofri muito por essa doença, mas tô sobrevivendo. Nunca deixe de enfrentar as situações por causa desse mal. procurem um psiquiatra e enfrente a fobia que vc tá tendo.

  • NUNCA CONSEGUIR FALAR EM PUBLICO,SEMPRE FUGI DAS SITUAÇOES.TENHO TODAS CARACTERISTICAS DE FOBIA SOCIAL.

  • Camila
    16:21

    Agora sim descobri o que eu tenho,é muito ruim você sente diferente de todo mundo,isso até me atrapalhou no meu namoro,hoje eu sou uma pessoa isolada se aguem me chama para jantar fora nossa é horrivel ou eu não vou,para mim pegar em talher no jantar,nossa judia de mais de mim,mais agora eu vou me cuidar.

  • Isso Não Acaba com nossa vida, ninguém é perfeito cada um de nós enfrentamos parreiras e obstáculos na vida esse só é mais um ,devemos ser fortes e entender que Deus é o Maior e que esse problema pode ser superado só depende da gente.Tem CURA sim é ter Deus no coração e entender que somos iguais a todos.Deus nos deu a vida para viver da melhor forma e
    felizes e é assim que teve ser. Enfrento esse problema, mas apesar das dificuldades.levo uma vida como qualquer um e faço tudo que tenho vontades.obrigado e me desculpe por qualquer coisa. Lembrete: você é capaz e a vida é feita de desafios porque sem eles não teria graça.
    Desafie-se!!!!!!!!!!

  • taty veta
    16:18

    me sinto tao triste em saber que perdi toda minha juventude

Deixe um comentário