Fora das Confederações e descrente da Copa do Mundo

A Fifa confirmou que Porto Alegre está fora da Copa das Confederações, em 2013, que é uma prévia do mundial de 2014. A notícia, ainda que esperada, desagradou torcedores do Inter e do Grêmio. Apesar da rivalidade, os torcedores acreditam que não apenas os times perdem, o comércio, a rede hoteleira e, principalmente, o desenvolvimento urbano também serão prejudicados.

Para o torcedor do Internacional André Fraga, o anúncio desta quinta-feira foi uma constatação do óbvio:

– As obras estão paradas. Lógico que a Fifa, uma federação séria, não iria aceitar promessas. Eles querem ver execução. No ritmo que está não acredito nem em 2014. O pior é que a cidade é que perde. Inclusive as melhorias exigidas para sediar um jogo são adiadas pela prefeitura sem um prazo rígido e uma garantia de realização – afirma.

O gremista Geraldo Rodrigues dos Santos até se anima com o anúncio, mas critica a forma de trabalho dos brasileiros:

– Por um lado esse anúncio não é tão ruim. A cidade perde, é claro, mas o Grêmio que está com obras adiantadas da Arena, pode ganhar com isso. O fato demonstra uma realidade, brasileiro não está acostumado com prazos, acredita que sempre vai dar um ‘jeitinho’ e conseguir de última hora. Esse susto é bom para mostrar que não é bem assim.

Fora as possibilidades abertas para o Grêmio, que tem esperança de sediar uma Copa do Mundo, nenhum torcedor – independente do time – acredita muito no desenvolvimento das obras. Além da descrença, todos concordam que os projetos  deveriam resultar em benefícios para população. Seja nos estádios ou na cidade, o mundial deveria ser apenas uma consequência da boa estrutura local e não uma premissa.

Davison Labrea foi enfático ao dizer que “o estádio tem que ser construído para o torcedor” e obteve apoio dos demais colorados que faziam fila na bilheteria do Beira Rio.

– Queremos ver jogo. Queremos morar em uma cidade melhor, com ou sem Copa – defendeu a torcedora gremista Marcela Schaurich que visitava a Arena para ver o andamento das obras. Ela completou: “o Grêmio ser palco do mundial seria ótimo”.

Texto: Marina Azevedo. Foto: Priscila Leal